Bebês prematuros: conheça os cuidados de que precisam

Bebês prematuros: conheça os cuidados de que precisam

Complicações durante a gravidez, disfunções hormonais, incidentes ou mesmo imprevistos: são vários os motivos pelos quais crianças prematuras podem vir ao mundo. São considerados prematuros os bebês que nascem com idade gestacional abaixo de 37 semanas, com baixo peso e, em alguns casos, formação deficiente.

Ao saírem da barriga da mamãe, bebês prematuros carecem de atendimento e cuidados especiais imediatos, dada à saúde sensível que possuem. Para isso, é necessária uma equipe composta por profissionais de diferentes frentes, entre eles pediatras, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas e fonoaudiólogos.

O pediatra neonatologista já está presente desde a sala de parto. É ele quem vai garantir os primeiros cuidados e avaliar as condições de saúde do recém-nascido até

28 dias de vida, quando estes deixam de ser chamados de recém-nascidos (ou neonatos) e passam a ser lactentes.

Existem, ainda, cuidados direcionados também à mãe da criança, afinal, a gestação em

si é um processo de acompanhamento do binômio mãe e filho. Aos casais que se interessarem, existe então a opção de apoio psicológico, focado em prepará-los para os tais cuidados especiais que o bebê tanto carece.

Principalmente em casos de nascidos antes das 34 semanas de gestação, os bebês podem ser internados na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (UTIN), que conta com os principais recursos, especialistas e equipamentos necessários – como incubadora e monitores de frequência cardíaca e respiratória, para que suas funções vitais se desenvolvam corretamente.

Ao longo deste período, além dos cuidados já recomendados a bebês, os pais entendem as necessidades e particularidades do pequeno, acompanhando seu desenvolvimento e aprendendo a lidar com ele, sempre acompanhados por uma equipe multidisciplinar super acolhedora.

Calendário de vacinação, amamentação, sono … a lista de detalhes não é curta, mas são especificidades insubstituíveis para a saúde e bem-estar do recém chegado. Após este período da internação, os pais vão para casa mais tranquilos e seguros, com as devidas recomendações e aprendizados.

Há, ainda, tratamentos alternativos, como a musicoterapia, que proporcionam o relaxamento do bebê prematuro, melhorando a saturação do oxigênio, a regulação da frequência cardíaca, o sono e o ganho de peso, por exemplo. Há também a chamada redeterapia, técnica na qual os bebês mais estáveis são colocados em redes produzidas para o tamanho deles, dentro da incubadora, ajudando a criança a voltar à posição mais confortável possível, que se assemelhe à que estava no útero materno.

Ou seja, se o bebê resolver chegar antes, está tudo bem também!